24.2.17



National Gallery


A arte, temia,
seria a história do desencontro trágico
entre o desejo e o corpo,
entre quem mostra e quem vê,
entre quem escreve e quem lê.
A história, talvez, do encontro feliz
do negreiro com o escravo,
da ostentação com a miséria,
da carne da vítima com o aço do agressor.
Da fome, da cegueira, da admissão da impotência.
Do pavor de haver apenas trevas para arrojar à luz.